Práticas de
Sustentabilidade

Na Copel, os compromissos com a sustentabilidade constam do referencial estratégico, previstos na missão, visão e valores da Companhia, bem como nas diretrizes estratégicas, estabelecidas nas políticas de Sustentabilidade, Ambiental, Direitos Humanos e de Governança Corporativa, e estão alinhados ao planejamento empresarial, bem como vinculados ao objetivo estratégico “Ser referência em sustentabilidade empresarial, ambiental, governança, gestão de riscos e compliance”.

A Copel adota como ferramentas de gestão de sustentabilidade as metodologias, normas e plataformas de certificação que são referências na elaboração de relatórios, estruturação de processos e classificação das melhores práticas para o crescimento com sustentabilidade. Anualmente, no processo de revisão do Planejamento Estratégico, são definidos indicadores e metas de desempenho para essas ferramentas resultando em um processo de melhoria contínua 

barra-colorida-20px

Metodologias

A Copel utiliza a metodologia do GHG Protocol para elaboração do seu inventário anual de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE).
A metodologia proporciona ferramentas e padrões internacionais para a mensuração das emissões de gases de efeito estufa para a elaboração e publicação de inventários desta natureza. 

O inventário é o principal instrumento para a gestão da emissão de gases de efeito estufa, sendo fundamental para a tomada de decisão sobre as ações relacionadas ao combate ao aquecimento global e à mudança do clima.

Em 2015, a Companhia deu início ao movimento de adaptação de seu reporte à metodologia do Relato Integrado. 

Desde 2008, a Copel publica o inventário de emissões de gases de efeito estufa seguindo os padrões dessa iniciativa global. A partir de 2012, o inventário passou a ser verificado por terceira parte.

Modelo de referência em gestão organizacional que baliza o prêmio “Melhores em Gestão” da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). É composto por oito fundamentos, entre os quais está o de Desenvolvimento Sustentável, formado pelos temas econômico-financeiro, ambiental e social.

Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão que apoia as empresas na incorporação da sustentabilidade e da responsabilidade social empresarial em suas estratégias de negócio. 

A Copel utiliza os Indicadores Ethos como forma de gerir e mensurar o nível de excelência em relação à sustentabilidade e responsabilidade social corporativa. 

As empresas signatárias do Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção respondem anualmente a um conjunto de questões relacionadas aos compromissos assumidos na ocasião de sua adesão. 

A Copel utiliza os Indicadores Ethos como forma de gerir e mensurar o nível de excelência em relação à sustentabilidade empresarial. 

Normas

Com o objetivo de contínua melhora de seu desempenho em sustentabilidade, a Copel guia suas normas e procedimentos nas melhores práticas, aplicando normas internacionais amplamente utilizadas e validadas pelo mercado.

Para padronizar seus indicadores de sustentabilidade (ou indicadores não financeiros) a Copel adota as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), conhecida como GRI Standards. As normas GRI apresentam uma linguagem comum para as organizações e para as partes interessadas.

Global Reporting
Initiative

barra-colorida-20px

Avaliações de Sustentabilidade

A Copel adere às principais práticas de mercado que impulsionam as empresas ao desenvolvimento da sustentabilidade atrelada à sua gestão e estratégia.

Por meio dos Indicadores de Sustentabilidade, as empresas e o mercado comprovam a importância, o peso e a veracidade das ações relacionadas às dimensões ASG (ambiental, social e governança), demonstrando aos investidores a seriedade da gestão, a solidez do compromisso com a perenidade e a confiabilidade dos resultados.

A seguir destacamos as principais plataformas utilizadas como referência pela Copel:

Em 2020, pela 14ª vez a Copel continua integrando a seleta carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3 – Bolsa de Valores brasileira - que tem vigência de 06/01/2020 à 01/01/2021.

O ISE B3 é o principal índice de sustentabilidade brasileiro e uma referência para investidores que avaliam as atividades empresariais sob a perspectiva do desenvolvimento sustentável, considerando aspectos como equidade, transparência e prestação de contas, natureza do produto, e desempenho empresarial nas dimensões econômico-financeira, social, ambiental e relativo à mudança do clima.

A tendência da busca por investimentos responsáveis vem se firmando como uma regra no mercado de ações, por atestar o preparo das empresas diante de riscos econômicos, ambientais e sociais, e no longo prazo agregando valor às partes interessadas nas suas atividades.

Criada em 2005, a carteira do ISE inclui empresas listadas na Bolsa com performance que atesta seu compromisso com a sustentabilidade empresarial. Desde sua criação, o índice conta com a parceria técnica do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (GVces).

Infográfico ISE

A Copel, comprometida com o desenvolvimento sustentável, publica anualmente suas informações sobre a gestão da mudança do clima no portal do Carbon Disclousure Project (CDP).  

 

Saiba mais

A movimentação dos investidores em prol da sustentabilidade trouxe ainda maior responsabilidade para as empresas, que agora devem ir além da responsabilidade socioambiental e integrar os fatores ASG (ESG, em inglês, Environmental, Social and Governance) em suas operações e estratégias, gerando valor no curto, médio e longo prazo. 

 

Além dos relatórios corporativos – Demonstrações Financeiras, Press Releases, apresentações e Relato Integrado, os investidores baseiam suas decisões sobre investimento em classificações e índices de sustentabilidade, elaborados por empresas especializadas, entre os mais importantes, o Dow Jones Sustainability Index.

 

A participação da Copel no processo permite analisar em qual patamar está o desempenho em sustentabilidade da Companhia perante seus pares mundiais. O resultado permite que a Companhia defina estratégias para avançar em seu desempenho em sustentabilidade nos próximos anos. 

FTSE4Good é um índice de sustentabilidade empresarial elaborado pela Financial Times e tem o objetivo de classificar as empresas conforme o desempenho em indicadores de caráter ambiental, social e de governança. Investidores de todo o mundo utilizam este tipo de índice para balizar seus investimentos. A Copel integra o FTSE4Good Index Series, atualmente, com score 3,8 no ESG Rating (Em uma escala de 0 a 5).

O MSCI ESG Rating é uma classificação que mede o desempenho das empresas no longo prazo, com base nos riscos materiais ambientais, sociais e de governança. A classificação é de AAA (melhor desempenho) até CCC (pior desempenho), e é o resultado da relação entre o risco identificado e a gestão desse risco pela companhia. Atualmente a Copel está classificada como BBB.

Os ESG Risk Ratings da Sustainalytics medem a exposição de uma empresa a riscos materiais específicos da indústria e analisam a forma como a empresa executa a gestão destes riscos. Este modelo multidimensional de medir os riscos ambientais, sociais e de governança combina os conceitos de gestão e exposição para chegar a uma avaliação absoluta dos riscos ESG. A avaliação da Sustainalytics identifica cinco categorias de gravidade de risco ESG que podem ter impacto no valor de uma empresa. A Copel está classificada como Medium ESG Risk. 

A Task-Force on Climate-Related Financeial Disclosures (TCFD) visa auxiliar a identificação das informações necessárias para que investidores e demais agentes do mercado financeiro avaliem e precifiquem de maneira adequada os riscos e oportunidades relacionados às mudanças climáticas. Suas recomendações são baseadas em quatro elementos de gestão da mudança do clima: a governança, a estratégia, a gestão de riscos e as métricas e metas. Na Copel, a gestão da mudança do clima é regida pela Política da Mudança do Clima, e pela norma interna de Gestão de Efeitos da Mudança do Clima, as quais integram esses quatro elementos, e são anualmente avaliados pelo Carbon Disclosure Project (CDP). O Relato Integrado Copel 2021 apresenta seção dedicada às recomendações do TCFD.  

barra-colorida-20px

Afiliações, Associações
e Organizações

A representação em associações do setor elétrico e a atuação da área regulatória da Copel, em conjunto com suas áreas técnicas, favorecem a participação ativa da Companhia nos processos de regulamentação do setor, conforme os interesses de suas partes interessadas e da sociedade como um todo.

Essa participação ocorre no âmbito das subsidiárias, por meio de representantes com notório conhecimento em seus negócios de atuação. A Copel (Holding) participa de entidades voltadas à promoção da sustentabilidade, bem como assume uma série de compromissos nesse sentido.

Conheça as entidades das quais as subsidiárias integrais da Companhia participam, acessando os Relatos Integrados da Compania e os Relatórios Socioambientais das subsidiárias.