Serviços Ecossistêmicos

Os serviços ecossistêmicos são definidos como as contribuições diretas e indiretas dos ecossistemas à economia e ao bem-estar da humanidade, podendo ser classificados nas seguintes categorias: 

Provisão – alimentos, água, matérias primas como madeiras e fibras, biocombustíveis, recursos genéticos, medicinais ou ornamentais etc.

Regulação – clima, polinização, controle biológico de pragas e doenças, purificação da água etc.

Suporte – manutenção dos ciclos de vida de espécies migratórias e da diversidade biológica.

Cultural – Identidade cultural, patrimônio cultural, identidade espiritual, inspiração, beleza cênica, recreação e turismo etc.

A relação de serviços ecossistêmicos com os negócios da Companhia pode auxiliar na avaliação de novos projetos, investimentos e solução de problemas. Nesse sentido, a Copel identificou, desenvolveu e publicou estudos pilotos para valoração dos principais serviços ecossistêmicos relacionados aos negócios de geração, transmissão e distribuição de energia. 

Ações já realizadas

  • Participação na elaboração da Nota técnica para hidrelétricas, trabalho coordenado pela Fundação Getúlio Vargas – FGV. 
  • Inclusão da valoração de serviços ecossistêmicos em planilha de cálculo de danos de florestas nativas na implantação de Linhas de Distribuição de Alta Tensão (LDATs) e Subestações.
  • Inclusão de etapa de análise de serviços ecossistêmicos em projeto de pesquisa e desenvolvimento sobre manejo integrado de vegetação na abertura de faixas de passagem de linhas de distribuição de alta e média tensão.


É importante ressaltar que a gestão dos serviços ecossistêmicos relacionados aos negócios da Copel está em constante evolução e busca alinhar-se ao desenvolvimento do tema tanto no meio empresarial quanto nos meios científico e acadêmico.

Estratégia de Atuação e Gestão de Serviços Ecossistêmicos da Copel GeT